domingo, 20 de março de 2011

Cosme e dá-me homens


ilustração: Thiago Calle

AMOR DE MENINOS

De santo ele só tem o nome. Cosme tem vinte anos. É um paraibano moreno e garboso, que ultrapassava 1,80m de altura na pele cor jambo. O sorriso acanhado divide espaço com sua timidez completa. O irmão – que de nada parece ser seu gêmeo – não teve a sorte de fazer com as meninas da pequena Beijo da Madre de Deus - cidadela incrustada no interior da Paraíba - suspirassem ao vê-lo. A diferença entre um e o outro é que Cosme é gay; Damião, não.

Com todas as complicações para viver a sexualidade na cidade, Cosme - que há meses namorava Fernando, através da internet em que acessava na única lan house do município - deixou a terra natal para viver com o futuro "marido", em São Paulo. Aos pais, assegurou a garantia de melhor emprego e situação financeira. Só não lhes avisou que largaria o berço para se aventurar com alguém do mesmo sexo.

Quando deu por fé, já havia desembarcado em São Paulo. Fernando estava à sua espera no aeroporto e também pelo pagamento da passagem de avião do jovem. O que não previa era a brevidade do relacionamento. Tão fugaz quanto a maioria dos contatos nas salas de bate-papo da vida, o casamento dos rapazes se resumiu a uma semana. Segundo Cosme, desmoronado pelo ciúme obsessivo do paulistano de 28 anos.

Com contatos na gaveta, o garoto decidiu se mudar. Foi parar na casa dum amigo, que também conheceu na internet. Um mês depois, Joseph, um paulista de 27 anos, caiu nas graça do paraibano. Sem nenhuma demora, marcaram de se encontrar, e despertar a paixão instântanea pelo jovem. Em poucos dias, declarou amor eterno àquele que era chamava de “meu moreno”. Firmaram namoro e, ao menos ao paulista de olhos verdes, o desejo de protagonizarem o infindável romance.

Em São Bernardo do Campo, Cosme descobriu ter alguns parentes. Longe dos familiares chama-se Thiago. Na capital, seus contatos o conheciam como Leandro. O que limitava a alcunha do moço apenas à homenagem que o pai fizera aos santos gêmeos.

O namoro com Joseph também não perdurou. Isso porque Cosme descobriu as facilidades de se namorar, mesmo que por uma noite, vários homens nas boites paulistas. Disse, agora ao ex, que não estava preparado para assumir um compromisso sério. Mas, em nenhum momento, alegou não haver oportunidades de continuar escrevendo a história dos dois.

E vieram outros homens. Um amontoado deles. Contudo, há pouco tempo, o rapaz regressou à Paraíba. Pediu demissão do restaurante onde trabalhava. Em solo paraibano, retornou à vida de namoros virtuais, pois não lhe restava outra alternativa para vivenciar a sexualidade, ainda camuflada sob músculos definidos.

Dia desses conheceu um conterrâneo que mora em São Paulo há um bocado de tempo. O que parece é que a Madre de Deus ficará mais uma vez para trás: Cosme garantiu ao novo pretendente mudança brevemente.

A única coisa certa é que Cosme parece ter sido homenageado com o nome errado, pois seria Antonio o mais apropriado. Se Cosme e Damião não regem o caminho desse paraibano, que ao menos Santo Antonio ajude-o a encontrar os homens de sua vida.

6 comentários:

Tiêgo R. Alencar disse...

Muito sugestivo o título, ADOREI! MAIS UM, MAIS UM! E realmente, o nome do guri deveria ter sido Antônio, porque né. hahahaha

Abraço :)

Thairane Nascimento disse...

Crônica danada de bem escrita, fiquei envolvida pelo enredo. Parabéns!
E que santo Antônio nos ajude, ao Cosme e a mim - que também estou encalhada - a encontrarmos os homens de nossa vida.

Karol Coelho disse...

Quando eu crescer, quero escrever igual a você. =)
Muito bom!!

Joseph disse...

ótimo texto!nossa história nao chegou mesmo ao fim,como diz no texto ele nunca descartou estarmos juntos de novo,estamos falando até em casamento.aguardo anciosamente "meu moreno"retornar da Paraiba!

cosmo disse...

Gostei Muitoo...

iolando disse...

Muito emocionante.o amor nos faz acreditar em tudo,mas a realidade sempre vem em seguida...espero ainda mudar o rumo dessa historia e colocar nela um final feliz...um feliz para sempre.
Iolando martins...sao francisco-pb